Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos

Grupo formado por blogueiros que dedicam seu espaço à discussão da sétima arte

Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos - Grupo formado por blogueiros que dedicam seu espaço à discussão da sétima arte

Novos Membros da SBBC 2015

A Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos divulga agora a lista de inscritos selecionados a integrar o nosso quadro de membros. Após o período de recebimento das candidaturas, uma comissão interna foi formada para selecionar até dez nomes entre todos os avaliados. Entre os critérios julgados, há a periodicidade, o domínio da escrita, o poder de argumentação, o design e a contribuição para a blogosfera.

A seguir, listamos os dez blogueiros cinéfilos aprovados pela comissão. Desejamos boas vindas aos nossos novos colegas e contamos com a colaboração de todos para fortalecer o nosso trabalho.

 

Novos Membros SBBC

Daniel Kojak, Arrotos Culturais (SP)
Daniel Medeiros, 7 Marte (SC)
Gabriel Dominato, Avant, Cinema! (PR)
José Rodrigo Baldin, Central 42 (SP)
Lynn Fracis Colling, Película Criativa (PR)
Marcus Augusto Lamim, Horror Reviews and Something Else (SP)
Raphael Reyna Carrozzo, Janela Cinematográfica (RS)
Thiago Aparecido Martins Borges, A Noite Americana (SP)
Tullio Dias, Cinema de Buteco (MG)
Vinicius Carlos Vieira, Cinemaqui (SP)

Inscrições para novos membros 2015

.:: INSCRIÇÕES ENCERRADAS ::.

A partir de hoje, a Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos precebe inscrições de candidatos interessados em participar do nosso grupo. Fundada em 2007, a SBBC tem como principal missão valorizar o trabalho realizado de modo independente de editores de blogues e sites através da promoção de atividades que estabelecem resultados coletivos, tais como os rankings mensais, os especiais sobre grandes nomes do cinema e o Blog de Ouro, premiação dos melhores do ano que recentemente concluiu a sua oitava edição.

Além de sua contribuição nos eventos descritos, um membro da SBBC tem o seu trabalho divulgado através das redes sociais e a presença em um fórum para o debate sobre as nossas atualizações e iniciativas. Portanto, é importante que um novo membro esteja ciente dessas responsabilidades antes de submeter a sua inscrição, que será validada a partir de uma comissão interna que avaliará criteriosamente cada um dos candidatos.

Para prosseguir com a candidatura, é necessário escrever uma mensagem para sociedadebbc@gmail.com contendo o nome completo, a cidade e o estado, o endereço do blogue para o qual escreve e os perfis em redes sociais. As inscrições acontecem até a próxima sexta-feira, 13 de março, até às 23h59. Recomendamos atenção especial às regras a seguir – bem como uma leitura em nosso Estatuto:

• Para se candidatar, você deve ter ao menos 6 meses de atividade na blogosfera.

• Membros de um mesmo blogue devem se submeter individualmente na inscrição. Nos dados é recomendado que deixem links de seus respectivos textos de maneira a serem analisados pela contribuição individual. Candidatos que escrevem para sites coletivos também devem deixar links para seus textos.

• Blogues que não respeitarem os princípios éticos passarão por uma rigorosa avaliação da direção, podendo ser automaticamente eliminados antes da votação com os demais membros.

Para tirar dúvidas, também recomendamos o uso do campo de comentários.

Blog de Ouro 2015: Melhor Filme

SBBC - Blog de Ouro 2015. Melhor Filme

.

Ao seguir doze anos da vida de um garoto, Richard Linklater constrói uma sociedade onde cada pessoa apresenta virtudes admiráveis e ensinamentos de que o ser humano não precisa ser aquele que todos querem que ele seja, nem se amedrontar em tocar sua vida em meio a um senso comum que diz que tudo dará errado. Novos tempos existem e vão chegando, e nós, quando percebemos, já estamos inclusos nele. Querendo ou não, a adaptação a um novo meio fala mais alto, e como no final tudo dá certo, percebe-se que há sim várias formas de ser feliz e fazer tudo valer a pena. [Brenno Bezerra]

.

Um dia com muitas nuvens no céu, ao som de ‘Yellow’, do Coldplay. Vemos um menininho de olhos claros, sob a grama da escola apreciando aquela vista, imaginando alguma aventura, vendo o tempo passar. Boyhood é o retrato do coming-of-age, ou seja, da infância à juventude como resume o subtítulo, reforçando a lógica de que o tempo passa depressa para todos nós e é preciso aproveitar cada momento, antes que seja tarde. [Mayara Bastos]

Blog de Ouro 2015: Melhor Ator

SBBC - Blog de Ouro 2015. Melhor Ator

.

Trabalhando com um diretor que, certamente, é um dos responsáveis pela sua consolidação como grande ator, DiCaprio tem aqui a melhor atuação da carreira. Como Jordan Belfort, ele alterna com grande talento entre os registros cômico e dramático. Basta citar três momentos distintos para notar essa versatilidade: qualquer um dos discursos quase hipnóticos para os funcionários, a conversa cheia de entrelinhas com o agente do FBI e a excepcional cena da paralisia facial. [Adriano Garrett]

.

Leonardo DiCaprio carrega o filme nas costas, ajustando sua interpretação de modo exemplar a cada uma das fases e facetas do personagem, que começa como um rapaz esperto e ambicioso e logo parte para caminhos fascinantes e, ao mesmo tempo, sombrios. Qual é o limite de alguém que de fato chega a ser o “rei do mundo”? O que satisfaz a sede de adrenalina de quem já fez de tudo e, pior, que pode tudo? [Erika Liporaci]

Blog de Ouro 2015: Melhor Atriz

SBBC - Blog de Ouro 2015. Melhor Atriz

.

Para estabelecer um ponto de referência para o que é feito aqui, é preciso buscar em nomes mais perversos do cinema de gênero solto pelo mundo, como os mais sádicos de Pedro Almodóvar e Alfred Hitchcock. E, se Fincher é genial ao dar descarga em padrões estabelecidos do bom cinema, ele tem a ajuda crucial de Rosamund Pike para isso. Espero que a sua performance sobrenatural seja reconhecida com a força que merece e que ela não seja prejudicada pela busca a um realismo que, confio, não se pretende presente. [Cesar Castanha]

.

A atriz, que não havia tido ainda grandes oportunidades na carreira, personifica Amy com inteligência, criando uma personagem dissimulada e de atitudes constantemente mutáveis de acordo com a situação. Além disso, há uma ponta calculada de exagero em sua atuação que a deixa em completa sintonia com o restante do longa. É isso que ajuda a fazer com que o filme finalmente se torne a história dela. [Leonardo Maran]

Blog de Ouro 2015: Melhor Direção

SBBC - Blog de Ouro 2015. Melhor Diretor

.

Ao estabelecer o tempo como parâmetro para a feitura de seu filme, para a evolução dos personagens e para a exposição de seus conflitos, por mais triviais que eles sejam, durante as 2h45min de filme, Linklater aposta em um cinema imersivo, de entrega e paixão. A ação do tempo já estava presente na trilogia “Antes do amanhecer”, mas aqui ganha mais relevância dramática por sublinhar toda uma ascensão geracional. [Reinaldo Glioche]

.

Muito fácil, para não dizer tentador, se deixar levar e se fascinar somente pela brilhante ousadia do cineasta Richard Linklater em seu mais recente trabalho, Boyhood. Filmado em um período de pouco mais de 40 dias ao longo dos último 12 anos, Boyhood não é apenas um triunfo do ponto de vista técnico, mas uma das viagens mais arrebatadoras por um dos caminhos mais triviais que se possa imaginar: a vida de um jovem de classe média americana, dos 6 aos 18 anos. [Márcio Santos]

Blog de Ouro 2015: Melhor Fotografia

SBBC - Blog de Ouro 2015. Melhor Fotografia

.

A fotografia em preto e branco faz com que cada cena se pareça com uma pintura, o uso perfeito do chiaroscuro aliado ao enquadramento pouco convencional tornam o filme uma obra de arte das mais belas e impressionantes que vi nesses últimos anos. É curioso perceber, por exemplo, que a personagem, deslocada em seu mundo, nunca aparece no centro da tela, ela está sempre à margem tal qual como se sente na vida. E quando ela chora, por perceber que talvez não pertença àquele lugar, não conseguirmos ver seu rosto inteiro, apenas seus olhos, suas lágrimas, seu corpo incompleto. [Eder Alex]

.

Em Ida, o sentimento mais presente é o da desesperança. Em relação à vida, ao futuro e ao passado. É como se a vida passasse em branco, nem mesmo as grandes decisões têm emoção ou são recheadas de sentimentos. Simplesmente acontecem. Indiferença. A fotografia contribui para isso. Triste, sombria, sem cor, nevada e gelada, a atmosfera do inverno polonês comunista é devastadora e nada inspiradora. [Suzana Vidigal]